conecte-se conosco

Norte do Estado

Grupo de 37 venezuelanos chega à Maringá para trabalhar em transportadora

Publicado

G1 PR

Um grupo de 37 venezuelanos desembarcou em Maringá, no norte do Paraná, nesta terça-feira (9). Os refugiados foram selecionados para trabalhar em uma transportadora da cidade.

O processo de seleção para as vagas na empresa foi realizado em Boa Vista, em Roraima. Na prova prática, os venezuelanos comprovaram habilidades ao dirigir um caminhão do Exército Brasileiro.

“É uma imensa alegria. Eu dou graças a Deus pela oportunidade que nos deu de estar aqui, juntamente com esta empresa que nos deu essa oportunidade para que nós cresçamos aqui no Brasil”, disse o venezuelano Eduardo Mendoza.

Dos 37 refugiados, 36 vão trabalhar como motoristas na empresa contratante. Eles devem realizar viagens por outras cidades, com o trabalho.

Com a chegada deles em Maringá, a empresa contratante será responsável por providenciar toda a documentação e dar alojamento e suporte para que os novos funcionários se adaptem ao país.

Segundo o departamento de Recursos Humanos da empresa, os refugiados devem passar por um processo de integração, treinamento, avaliação e, ao final de um período, em torno de 60 dias, começam a viajar sozinhos.

Leia mais:  Índio é preso suspeito de matar a esposa em reserva indígena do Paraná

O venezuelano Jesus Antônio deixou a esposa e três filhos no país natal. Ele conta que decidiu tentar uma nova vida no brasil porque já não conseguia comprar comida na Venezuela e afirma que o novo desafio é também uma oportunidade.

“Tem que trabalhar, ser honesto, responsável e sério”, ressaltou.

Do aeroporto, nesta terça-feira, os venezuelanos fizeram um passeio para conhecer a nova cidade. Na chegada à sede da empresa em que vão trabalhar, ganharam roupas e foram encaminhados aos alojamentos.

Comentários Facebook

Norte do Estado

Moradores de Cianorte enfrentam filas para conseguir marcar exames

Publicado

G1 PR

Moradores de Cianorte, no noroeste do Paraná, enfrentam filas e baixas temperaturas para conseguir marcar exames pelo Sistema Único Saúde (SUS). Distribuição de senhas para agendar os procedimentos ocorre uma vez ao mês.

Alguns pacientes reclamam ter que aguardar na fila desde a madrugada, no Extensão do Núcleo Integrado de Saúde. A dona de casa Vera Bitencurt, conta que há moradores desde as primeiras horas da madrugada no local.

“Depois do almoço, aqueles que ficarem, eles continuam dando os exames. Acho que é o medo de não conseguir para todos”, disse.

De acordo com os funcionários do posto de saúde, são distribuídas aproximadamente 150 senhas pela manhã e mais 150 para o período da tarde.

Entretanto, antes mesmo da distribuição de senhas oficiais, os pacientes se organizam em ordem de chegada com senhas improvisadas.

“É sempre assim. Hoje está mais calmo, mas por causa do frio, as pessoas deixam para vir mais tarde”, disse a babá Rosa Brizzi.

Leia mais:  Índio é preso suspeito de matar a esposa em reserva indígena do Paraná

A Prefeitura de Cianorte disse que não há necessidade de que os pacientes cheguem de madrugada no posto de saúde. O município reconhece que, como a população atendida pela Extensão do Núcleo Integrado de Saúde é a maior do município, as vagas duram menos tempo do que nos demais postos.

Mesmo assim, segundo a prefeitura, são garantidos os exames a todos que comparecem ao local no dia da liberação, independentemente do horário.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana