conecte-se conosco

Curitiba

Deltan Dallagnol usou partido político para atingir ministro do Supremo

Publicado

O procurador Deltan Dallagnol, chefe da Operação Lava Jato, em Curitiba, usou a Rede Sustentabilidade como uma espécie de laranja para propor uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro Gilmar Mendes. Isso é o que revelaram as mensagens privadas trocadas entre os integrantes da força-tarefa enviadas por fonte anônima ao site The Intercept Brasil e analisadas em parceira com o portal Uol.

De acordo com a articulação, que envolveu o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), foi feira a apresentação de uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) no Supremo para impedir que Gilmar soltasse presos em processos que ele não fosse juiz da causa. A negociação foi relatada por Dallagnol a outros integrantes da força-tarefa a partir de 9 de outubro de 2018 — dois dias depois, a Rede protocolou a ADPF.

A manobra judicial tinha como objetivo driblar as limitações de seu cargo: Deltan e seus colegas de Lava Jato são procuradores da República, primeiro estágio da carreira do Ministério Público Federal (MPF) e só podem atuar em causas na primeira instância da Justiça Federal. Por isso, têm atribuição de atuar em processos da 13ª Vara Criminal Federal, comandada até novembro pelo ex-juiz Sergio Moro.

Leia mais:  Prefeitura garante passagem de ônibus sem reajuste em Curitiba até 2020

No âmbito do MPF, a atribuição para atuar junto ao STF é exclusivamente da Procuradoria-Geral da República (PGR), comandada por Raquel Dodge. Dessa forma, ao usar um partido para dar sequência à causa, conforme revelam as mensagens, a Lava Jaro usurpou a competência da chefe do MPF.

Além de Dodge, um seleto grupo de aurtoridades e instituições pode propor ADPFs no Supremo: o presidente da República; as mesas diretoras da Câmara e do Senado; as assembleias legislativas, os governadores e a Ordem dos Advogados dos Brasil (OAB). Também têm essa prerrogativa confederações sindicais e de classe, além de partidos políticos com representação no Congresso — caso da Rede Sustentabilidade.

Comentários Facebook

Curitiba

BMS transforma Curitiba na ‘capital do motociclismo’ neste fim de semana

Publicado

Finalmente está chegando a hora! Evento que mais quebrou paradigmas no mercado nacional duas rodas, o BMS Motorcycle chega a Curitiba a partir desta sexta-feira (16) e agita a cidade até o próximo domingo (18). A atração, que terá como palco a Usina 5, se destaca por por unir em uma só produção as mais variadas vertentes do segmento, além de promover projetos como o Muro da Morte (‘Wall of Death’) e a Corrida Maluca, com 16 pilotos fantasiados competindo em minimotos.

Antes promovido bienalmente, o BMS tem feito um sucesso tão grande que a partir de agora, a quinta edição, o evento passará a ser realizado anualmente. Neste ano, os nomes mais importantes do mercado estarão presentes no espaço de 60 mil m², dentro de um complexo industrial revitalizado para eventos multiculturais. São marcas como BMW, Ducatti, Harley-Davidson, Honda, Royal Enfield, Triumph, Pirelli e Metzeler, com algumas delas contando com um amplo trajeto de Test Ride dentro do evento, para que a experiência do visitante junto das marcas seja ainda mais completa.

Leia mais:  Junho deste ano está quase 3ºC mais quente em Curitiba

Outro destaque do evento é o espaço Freedom Riders, projeto tradicional destinado ao universo custom, com mais de 1.000 m² e a presença de grandes nomes do Brasil e da América do Sul, como Benditta Machina, Dream Machines, Wolf Motorcycles e outros tantos.

O Muro da Morte, no qual pilotos andam em alta velocidade, realizando manobras em um ângulo de 90º, também está confirmado, bem como o ‘Glodo da Morte’. Além disso, haverá ainda campeonatos com pistas dentro do evento, como o “Campeonato de Flat Track”, o “Campeonato BMS de Velocross” e a “Corrida Maluca. São esperados para as competições mais de 300 pilotos de diferentes estados, tanto nas modalidades masculinas e femininas.

Os ingressos e passaportes para os três dias do BMS Motorcycle 2019 já estão disponíveis pela Eventim (www.eventim.com.br/bmsmotorcycle), com valores a partir de R$ 30 (meia-entrada por dia). Passaporte para os três dias R$ 60. Verifique a possibilidade de pagar meia-entrada por meio do ingresso solidário, que sai por R$33, sendo R$3 doado para uma instituição de caridade que será divulgada em breve.

Leia mais:  Prefeitura garante passagem de ônibus sem reajuste em Curitiba até 2020

Acompanhe mais informações pelo site www.bmsmotorcycle.com.br ou pelas redes sociais oficiais, pelo Facebook @bmsmotorcycle e pelo Instagram @bms_motorcycle.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana