“É uma condição que o governador Ratinho Junior não abre mão.” Assim o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex de Oliveira, respondeu ao ser perguntado sobre a duplicação de toda a extensão da BR-277, uma das principais rodovias federais do estado, 100% paranaense, cortando de ponta a ponta, de Leste a Oeste.

Pela proposta prévia de modelagem para o pedágio a ser licitado em 2021, ainda restariam cerca de 50 quilômetros em pista simples na BR-277, mas isso ainda está em negociação e pode mudar nos próximos dias, tendo em vista que a duplicação total é vista como estratégica para o desenvolvimento do estado e para a elevação de nível da rodovia.

Dos 726 quilômetros da BR-277, de Paranaguá a Foz do Iguaçu, apenas 228 quilômetros são em pista dupla. Ou seja, são quase 500 quilômetros em pista simples. O contrato de concessão assinado em 1997 previa grandes trechos de duplicação na BR-277, alguns foram retirados por aditivos firmados em 2000 e 2002, mas a previsão de fazer toda a rodovia em pista dupla nunca foi formalizada. Nas últimas duas décadas, foram vários os protestos e as campanhas pela realização de obras na via.

Leia mais:  Até 2040, Paraná terá 118 idosos para cada 100 crianças, estima governo

Situação atual de duplicação na BR-277

  • Pista dupla
  • Pista simples com 3ª faixa*
  • Pista simples sem 3ª faixa*

Infográfico:

*3ª faixa com mais de 10km de percurso